A medicina que construímos não lida com doenças, mas promove saúde.

O Ano de 2019 é um marco para movimento da consciência alimentar, saúde e qualidade de vida, pois a COOLTIVANDO em apoio do Hospital Nova Clínica conseguiram oferecer saúde a mais de 20 pacientes todas as Quintas feiras no evento denominado “Dia do Orgânico”

Image may contain: food

“Os pacientes internados receberam alimentos do agricultor, sem uso de agrotóxicos no cultivo, diretamente no prato. Parabenizamos a equipe de nutrição e a todos os responsáveis, porque há tempos vimos insistindo na importância de ofertar alimentos orgânicos aos pacientes.

A preservação da saúde intestinal e da imunidade, por meio da nutrição, é de extrema importância, por exemplo, para evitar complicações pós-cirúrgicas. Manter uma flora bacteriana em equilíbrio e um intestino bem nutrido e preservado pode ser decisivo tanto para a função intestinal quanto para imunidade de todo o organismo. No entanto, a avaliação dos micronutrientes dos pacientes que são submetidos à cirurgia, em geral, pelo que podemos observar, ainda não é levada tão a sério.”  Dr. Wanderson Machado Carvalho – Nutrição a bordo: o que nossos pacientes comem, e o que nós, médicos anestesistas e cirurgiões, temos a ver com isso.

“Recentemente o Sr Felippe Lucas fechou contrato com um hospital da
região metropolitana de Curitiba ( Hospital Novaclínica de São José dos
Pinhais ) com a cooperativa COAOPA que entrega produtos orgânicos para a
cozinha deste hospital e para todos os colaboradores, permitindo que pacientes
enfermos e colaboradores do hospital possam ingerir uma alimentação mais
digna para quem está se recuperando de uma doença ou cirurgia e trabalhando
arduamente para manter os pacientes em segurança.

Vejo que este trabalho é inovador e fundamental, uma vez que não
existe hospitais em Curitiba que sirvam alimentos orgânicos para pacientes.

O que é mais brilhante é a forma como ele organiza toda a logística de
entrega destes produtos via agricultor, cooperativa e hospital através da
Startup COOLTIVANDO, que ele mesmo fundou .

A COOLTIVANDO fundada pelo Lucas Felippe possui uma tecnologia
digital em nuvem aonde o agricultor, o responsável pela cooperativa e o
responsável por receber os alimentos no hospital se comunicam de forma fácil
e inteligente.

A COOLTIVANDO controla a qualidade dos produtos e o tempo de
entrega. A nutricionista do hospital mantem, desta forma, um controle de
qualidade de cada produto entregue e tudo é realizado pela tecnologia da
Startup.” Dr. Wanderson Machado

O que nos move é isso, a promoção da saúde e celebração da vida, pois todos tem o direito a uma alimentação soberana, todos tem direito a vida.

Saudoso abraço

Lucas Eduardo Caetano Felippe

Engenheiro Agrônomo

Founder Cooltivando – Gestão Agroalimentar

Sistemas alimentares

Sistema alimentar é um conjunto de elementos e ações que estão ativas na produção, beneficiamento, industrialização e consumo de alimentos que impactam diretamente no desenvolvimento nutricional de uma população. Nesse sistema estão envolvidos diversos atores que contribuem para crescimento e desenvolvimento dos alimentos, com objetivo de não faltar alimentos para a população. E em cada fase desse sistemas esses atores são denominados, como por exemplo: Produção/ Agricultura; Beneficiamento/ Gastronomia; Industrialização/ Empresas de alimentos; Consumo/ População.

A Agricultura é uma prática ancestral originada do ser primitivo da humanidade e está presente em todos da espécie. Um conjunto de técnicas e saberes, visando o propósito de domesticação vegetal. No início a agricultura tinha como propósito somente a produção de alimentos, conforme os tempos foram passando e a evolução intensificada da sociedade, na agricultura foi possível também produzir energia, medicamentos, vestimentas, ferramentas e ensino para diversas áreas do conhecimento.

Atualmente as práticas agrícolas se modernizaram de forma exponencial, o recurso humano utilizado hoje em dia é bem menor comparado ao início de tudo. Pois de fato, o maior custo na produtividade agrícola é a mão de obra, principalmente para as produções das grandes culturas, onde seriam necessárias milhares de pessoas para atender uma propriedade. O fator negativo está na questão dos monopólios mercantis que se originaram no desenrolar de todo esse acontecimento agrário, deixando muitas famílias de agricultores sem norte comercial, resultando na saída do campo para a cidade, também conhecido como êxodo rural.

IMPOSSIBLE FOODS : A produção de carne é considerada, de longe, um dos maiores contribuintes do mundo para as mudanças climáticas, não apenas pelo nível de gás de efeito estufa que produz, mas também pelo consumo de água e terra que requer. No entanto, apesar da crescente conscientização sobre o assunto, Brown observou que a educação pouco fizera para conter o apetite insaciável dos consumidores por carne.

Assim, afiançando-se em sua carreira acadêmica – e colegas – o então jovem de 56 anos começou a criar um produto alternativo que pudesse dar a mesma experiência que a carne.

Pat Brown, fundador é o fundador e CEO da Impossible Foods, uma empresa de alimentos baseada na Califórnia que tenta revolucionar a maneira como pensamos sobre a pecuária com seu substituto de carne à base de vegetais, comumente conhecido como o “Hambúrguer Impossível”.

Ele começou o negócio em 2011 depois que sua pesquisa acadêmica o levou a descobrir o impacto negativo da produção de carne no planeta.

“A única maneira de resolver o problema é dar aos consumidores o que eles sabem que querem e fazer de nosso trabalho encontrar uma maneira melhor de produzi-lo e encontrar uma tecnologia melhor do que vacas e outros animais”, disse Brown.

 

Os modelos de distribuição de alimentos estão cada vez mais claros conforme a tecnologia da informação vai avançando e os modelos antiquados vão se adaptando e se reiventando para não falirem nesse novo comécio alimentar que vivemos. Porém ainda não atingimos a soberania alimentar e não nos deram a autonomia sobre o que comemos, por isso é recomendado a participação em grupos de consumo, onde você sabe de onde e como é produzido seu alimento.

Para mais informações sobre coletivos alimentares acesse o artigo O QUE SÃO COLETIVOS ALIMENTARES E POR QUE FAZER PARTE?

Saudoso abraço

Lucas Felippe 

Engenheiro Agrônomo

Somos o que comemos?

E aí, leitores!

Fico muito feliz em estar mais uma vez com vocês.

Hoje gostaria de trazer um tema muito especial pra mim, pois é algo que venho observando desde a infância quando morava com meus pais.

A Diversidade Alimentar possui um papel super importante no desenvolvimento humano, tanto biologicamente, fisiologicamente e cognitivamente. Mas você pode me perguntar: “Como assim Lucas?”. Posso explicar na sequência, vem comigo.

BIOLOGICAMENTE: Os alimentos são fontes de macro e micro nutrientes, substâncias essenciais que são incorporadas em nós seres humanos. Esses elementos que constituem o nosso alimento, ao serem ingeridos e digeridos, parte deles possui papel fundamental e/ou fazem parte da construção celular do nosso organismo. Então meus amigos, de fato “somos o que comemos”.

FISIOLOGICAMENTE: A fisiologia é o estudo e entendimento do funcionamento de um organismo. Como estamos falando dos seres humanos, o assunto será voltado para o funcionamento do corpo humano e a interferência da alimentação nele. Você já parou pra pensar que tudo existe um equilíbrio, por exemplo, se começássemos a ingerir alimentos que possuem apenas glicose, o nível de glicose no nosso organismo iria ficar alto, isso pode promover o excesso no sangue e a produção de insulina pelo pâncreas não será o suficiente para transportar a glicose para os tecidos onde lá seria fonte de energia.  Por isso é muito importante um equilíbrio alimentar para constantemente manter a Homeostase ( Condição de estabilidade no corpo).

COGNITIVO: A deficiência de sais minerais na composição do ser humano tem um grande impacto nos processos cognitivos. Estudos mostram que consumo de vegetais e frutas causam melhorias no Quociente de Inteligência (QI)  e redução do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). “Alimentos carregados de açúcar e gordura parecem reduzir os níveis de uma substância química natural do cérebro crucial para o aprendizado, dizem os cientistas. As pessoas cujas dietas são ricas em gordura e açúcar podem estar prejudicando suas mentes.” Dailmail,2018.


A qualidade de vida não está relacionada somente ao nosso trabalho, nossos relacionamentos ou nosso lazer, mas no que comemos e de que forma comemos. Após essa pequena reflexão sobre alimentação e suas consequências, convido você leitor a repensar a forma como se relaciona com a comida, pois o modo como você valoriza a comida é o modo como você valoriza a si próprio e sua família.

Em suma, sei o quanto é difícil criar uma consciência alimentar em um mundo comercial do agroalimento em que nos empurram qualquer coisa pronta e de rápido preparo, mas sem qualidade e nutrição adequada. Sendo assim, lhe convido a participar de COLETIVOS ALIMENTARES, pois neles poderá trocar saberes e dicas de como alterar seus hábitos alimentares, além de ter acesso a uma alimentação rica.

Para saber mais sobre COLETIVOS ALIMENTARES, recomendo acessar nosso artigo  O QUE SÃO COLETIVOS ALIMENTARES E PORQUE VOCÊ VAI QUERER FAZER PARTE DESSA IDEIA.

Saudoso abraço,

Até a próxima.

 

Lucas Felippe

Engenheiro Agrônomo

Alimentação Saudável: Ainda é uma escolha?

Atualmente o nosso consumo desacerbado construiu um modelo de consumo alimentar sem reflexão. A correria do dia a dia, as multitarefas que “precisamos” realizar e aprender para ainda estar ativo no mercado, nos estudos e na sociedade, fez com que alguns valores essenciais da sobrevivência humana fosse considerado trivial. Somente pense na possibilidade de ao invés de inserir gasolina no seu automóvel, você colocasse desinfetante, muito provavelmente o seu carro irá sofrer uma desorganização no funcionamento mecânico e não irá se mover, mas foi vendido que aquele elemento era mais barato e mais rápido para ativar as funcionalidades do seu carro. Bom, o exemplo foi bem discrepante, mas é basicamente isso que fazemos com nosso próprio corpo, não refletimos no que consumimos, muitas vezes apenas compramos para “enganar o estômago”, e nada no modelo comercial de alimentos colabora para que tenhamos uma reflexão sobre o que ingerimos diariamente, o mercado alimentar apenas nos empurra qualquer coisa que tenha AÇÚCAR, GORDURA E SAL, pois são elementos que na natureza não se encontram em um único lugar, mas que juntas formam um vício e desejo, porque realmente precisamos deles, mas não na proporção que nos é oferecida atualmente.

Como o mercado de alimentos não proporciona produtos que realmente podemos chamar de comida, a proposta de coletivos alimentares vem se destacando, tornando se uma alternativa muito viável para quem alcançou a consciência alimentar e deseja ter acesso a alimentos de verdade.

GOSTARIA DE SABER DE VOCÊ, COMO PODEMOS CRIAR OU AUMENTAR NOSSA REFLEXÃO E CONSCIÊNCIA ALIMENTAR?

Se quiser saber mais sobre coletivos alimentares acesse o artigo do nosso blog sobre O QUE SÃO COLETIVOS ALIMENTARES E PORQUE VOCÊ VAI QUERER FAZER PARTE DESSA IDEA.

Grande abraço, até a próxima

O que são coletivos alimentares?

Antes de iniciarmos nossa fala sobre coletivos alimentares, é importante sabermos qual a respresentação e significado de um coletivo.

Nos dicionário coletivo é um substantivo que se refere ao grupo de seres da mesma especie ou diferente. Porém o contexto de coletivo que gostaria de trazer a reflexão é aquele que remete ao grupo de pessoas, unidas por uma causa em comum, que fazem dessa causa uma bandeira e fomentam ou geram um impacto positivo no âmbito da tematica discutida.

Após um breve esclarecimento sobre coletivos podemos estreitar mais a fala e trazer para o contexto alimentar. Os coletivos alimentares em sua maioria objetivam trazer para o maior número de pessoas possíveis o entendimento e transparência dos sistemas alimentares que nos rodeiam desde que nascemos. Essa proposta veem de encontro com fatores discutidos muldialmente como: fome; êxodo rural; saúde pública; desigualdade social; desnutrição e acessibilidade à alimentos de qualidade. Por meio de coletivos alimentares é realizada a desconstrução dos modelos convencionais de distribuição de alimentos e saberes culinários. O propósito é envolver os participantes para que possam atingir um nível de consciência alimentar possível de compreender de que a economia, ecologia e igualdade social estão sempre incluídas, e dessa forma por meio do simples ato de consumir alimentos é possível reorganizar esse sistema e buscar uma maneira mais sustentável de alinhamento entre consumo, preservação ambiental e igualdade social.

Um coletivo alimentar é desenhado de várias maneiras, e uma que posso exemplificar para você é o CSA (Community Supported Agriculture) ou Consumidores que sustentam a agricultura. As CSAs visam criar um espaço de inclusão e aprendizado, nas conexões campo e cidade, pois são mundos próximos, mas que se comunicam muito pouco devido ao modelo de consumo inconsciente imposto por nós para nós. Porém a proposta do CSA é democratização e o entendimento do que é justo para quem consome e especialmente para quem produz.

Os participantes desse movimento normalmente possuem uma empatia elevada comparado ao contexto social em que vivemos, porém ele não exclui quem habitualmente não participa de coletivos alimentares, mas busca sempre acolher novos membros de forma que o grupo cresça e se fortaleça, pois ao fazer parte dos coletivos, é impossível ser apenas um espectador e ficar apenas aplaudindo, todos são protagonistas e coautores dos valores e atividades do grupo. O modelo é tão empoderador que quem o vivência e abraça a causa, tem a expertize e capacidade de fomentar a criação de grupos de consumo consciente onde ele avaliar ser possível.

E para orientar quem gostaria de formar coletivos alimentares mais próximo da sua moradia ou nela própria, gostaria de deixar um infográfico simples e prático sobre PASSOS PARA CONSTRUÇÃO DE COLETIVOS ALIMENTARES, para auxílio desse processo. Além de deixar a disposição meu contato para orientação e parcerias.

Saudoso abraço a todos os leitores.

 

Lucas Felippe

Engenheiro Agrônomo